quinta-feira, 5 de abril de 2012

Quem é a noiva citada nas escrituras


A falta de atenção em uma simples vírgula faz com que o entendimento de todo um texto seja comprometido. Para conhecermos sobre qualquer assunto relacionado à verdade devemos atentar para aquilo que disse Jesus:



Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna; e são elas que dão testemunho de mim;” (João 5:39)

Examinar é ponderar, observar ou analisar atentamente.
Sendo este assunto de uma grande abrangência dentro da palavra de Deus, pois encontramos referências relacionadas à noiva em diversos livros, que jamais poderemos discuti-lo sem a devida atenção às escrituras, até mesmo a simples leituras, muito embora seja esta a realidade de que estamos dizendo, pois quando se fala das escrituras aparecem logo tantas tentativas mórbidas de justificar suas inércias, como que citamos: Ah! Está falando o senhor sabe tudo! Já está querendo julgar! Ou: cada um entende de um jeito diferente! E isso fica ainda pior quando essas tais pessoas se vêem acuadas por perceberem que realmente está sendo dito algo que primeiro já as deixaram sem o que eles chamam de razão, enfim, na verdade em contradição. Então começam as tantas justificativas sem o menor respeito sequer para com as escrituras, enfim para com a palavra de Deus. Daí então a grande dificuldade para que se possa chegar à verdade.

E este fato fica claro em meio a tantas complexidades em ensinamentos que chegam até ao absurdo e a discórdias que só escandalizam o caminho da verdade e o Cristo, como se o próprio Deus fosse cheio de contradição, absurdos, discórdias e cheio de complexidades, coisa que deveríamos nos aferrar em empenhos em corrigir, porém, pelas próprias satisfações muitas pessoas só querem dar atenção as coisas que são próprias de si mesmos.
E será que alguém dará atenção ao que estamos dizendo agora? E o que dizer disso então?
Agora veja se você não esta enquadrado em uma destas situações. E eu lhe pergunto: você tem coragem de reconhecer tudo isso? Ou prefere morrer e ir para o inferno e depois para o lago de fogo que é a segunda morte, após o juízo final.
A) Quem é, ou, o que é o Cordeiro?
Vamos ver qual a conexão que há entre o Cordeiro, o Verbo e veremos quem é o Noivo apresentado nas escrituras.
“No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse:

"Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.” (João 1:29)

Quando João, o Batista faz esta afirmação ele é bastante enfático e contundente em sua descrição quando apresenta o Senhor Jesus, do qual diz: “eis o cordeiro de Deus”.

a1) O verbo

Existe uma conexão deste assunto com a palavra “o verbo”. A análise, o conhecimento e o reconhecimento dessa expressão se faz necessária, pois é justamente esta palavra “verbo” que pode nos esclarecer todos os mistérios para entendermos estes assuntos que são tão necessários serem analisados para que se possa alcançar o devido entendimento para herdarmos a vida eterna.
E esta palavra “o verbo”, é a fonte de todos os conhecimentos das escrituras sagradas, por onde tudo veio a existir, fonte da inspiração de toda profecia, e enfim, fonte de toda a vontade de Deus, conforme esclarece João: “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.”

a2) A origem no Cordeiro

Atentando para o que disse ainda João, o batista:

Aquele que tem A NOIVA É O NOIVO; mas o AMIGO DO NOIVO, que está presente e o ouve, regozija-se muito com a voz do noivo. Assim, pois, este meu gozo está completo.”
(João 3:29)
Outro versículo a ser analisado e: 14 Então vieram ter com ele os discípulos de João, perguntando: Por que é que nós e os fariseus jejuamos, mas os teus discípulos não jejuam?
15 Respondeu-lhes Jesus: Podem porventura ficar tristes os convidados às núpcias, enquanto o noivo está com eles?
Dias virão, porém, em que lhes será tirado o noivo, e então hão de jejuar.” (Mt.9.14-15)
Conforme o que nos revela as escrituras o Noivo é o Cordeiro, pois a ceia é das bodas do cordeiro.
Na verdade são essas questões que podem nos explicar e deixar exatamente esclarecido este assunto de quem é a noiva, pois, como saberemos quem é a noiva senão quando soubermos primeiro quem é o noivo? E o que sabemos sobre o noivo?
Mas tudo na verdade tem a sua origem no cordeiro, e se o cordeiro é o noivo então logo ele também é a resposta que nos dirá quem é a noiva.

B) Os convidados

Vamos ver o que nos diz o dicionário sobre a palavra Bodas: Celebração de casamento, Festa
para celebrar um casamento, Banquete.
Quando os discípulos de João interrogam Jesus acerca do jejum, Jesus responde: Podem porventura ficar tristes os convidados às núpcias, enquanto o noivo está com eles?


Aqui fica claro que Jesus afirma que aqueles que estão com ele, o seguindo, são os “convidados” e que ele é o noivo.
Agora vamos examinar o que está em Apocalipse 19.9.
E disse-me: “Escreve: Bem-aventurados aqueles que são os que são chamados à ceia das bodas do Cordeiro”. Disse-me ainda: Estas são as verdadeiras palavras de Deus.” (Apocalipse 19:9).
Comparando com João: “Aquele que tem A NOIVA É O NOIVO; mas o AMIGO DO NOIVO, que está presente e o ouve,”


Ora vemos claramente que: bem-aventurados são os chamados (convidados, amigos, eleitos, aqueles que estão presentes e ouvem o noivo) para a ceia das bodas.
Observamos que Jesus afirma e indica que ele é o noivo, e que ele “tem a noiva”. E continua afirmando que os convidados, ou, amigo do noivo que está presente e o ouve se alegra com a voz do noivo. E confirmando em “Vós sois meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando.” (João 15:14) . Vemos que uma característica que define o ser amigo de Jesus é o obedecê-lo.
E assim mediante essas referências comprovamos que o cordeiro (Noivo) é Jesus.
E segundo lemos em Apocalipse 17:14 “...porque é o Senhor dos senhores e o Rei dos reis; vencerão também os que estão com ele, os chamados, e eleitos, e fiéis.”
E mais: Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas chamei-vos amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos dei a conhecer.” (João 15:15)
Logo a relação entre esses versículos apresentados é clara, pois, esses versículos nos revelam quem são os convidados:
Convidados=amigos=chamados=eleitos=fieis=quem cumpre a vontade de Jesus= a igreja

C) Quem é a Noiva?

Vamos examinar Apocalipse 22, 9-10 observando o que está destacado em negrito.

E veio um dos sete anjos que tinham as sete taças cheias das sete últimas pragas, e falou comigo, dizendo:
09 Vem, mostrar-te-ei a noiva, a esposa do Cordeiro.
10 E levou-me em espírito a um grande e alto monte, e mostrou-me a santa cidade de Jerusalém, que descia do céu da parte de Deus,
11 tendo a glória de Deus; e o seu brilho era semelhante a uma pedra preciosíssima, como se fosse jaspe cristalino;


12 e tinha um grande e alto muro com doze portas, e nas portas doze anjos, e nomes escritos sobre elas, que são os nomes das doze tribos dos filhos de Israel.
13 Ao oriente havia três portas, ao norte três portas, ao sul três portas, e ao ocidente três portas.
14 O muro da cidade tinha doze fundamentos, e neles estavam os nomes dos doze apóstolos do Cordeiro.
15 E aquele que falava comigo tinha por medida uma cana de ouro, para medir a cidade, as suas portas e o seu muro.
16 A cidade era quadrangular; e o seu comprimento era igual à sua largura. E mediu a cidade com a cana e tinha ela doze mil estádios; e o seu cumprimento, largura e altura eram iguais.
17 Também mediu o seu muro, e era de cento e quarenta e quatro côvados, segundo a medida de homem, isto é, de anjo.
18 O muro era construído de jaspe, e a cidade era de ouro puro, semelhante a vidro límpido.
19 Os fundamentos do muro da cidade estavam adornados de toda espécie de pedras preciosas. O primeiro fundamento era de jaspe; o segundo, de safira; o terceiro, de calcedônia; o quarto, de esmeralda;
20 o quinto, de sardônica; o sexto, de sárdio; o sétimo, de crisólito; o oitavo, de berilo; o nono, de topázio; o décimo, de crisópraso; o undécimo, de jacinto; o duodécimo, de ametista.
21 As doze portas eram doze pérolas: cada uma das portas era de uma só pérola; e a praça da cidade era de ouro puro, transparente como vidro.
22 Nela não vi santuário, porque o seu santuário é o Senhor Deus Todo Poderoso, e o Cordeiro.
23 A cidade não necessita nem do sol, nem da lua, para que nela resplandeçam, porém a glória de Deus a tem alumiado, e o Cordeiro é a sua lâmpada.
24 As nações andarão à sua luz; e os reis da terra trarão para ela a sua glória.
25 As suas portas não se fecharão de dia, e noite ali não haverá;
26 e a ela trarão a glória e a honra das nações.
27 E não entrará nela coisa alguma impura, nem o que pratica abominação ou mentira; mas somente os que estão inscritos no livro da vida do Cordeiro.
Vemos uma descrição detalhada da cidade (muros, portas, praça...)
Um detalhe importante a ser visto é que quando João viu a cidade, a Noiva, ele a viu vazia, confirmado no versículo 27: “E não entrará nela coisa alguma impura, nem o que pratica abominação ou mentira; mas somente os que estão inscritos no livro da vida do Cordeiro.”
Ou melhor, todos os verbos que indicam os seus habitantes estão apontando para o futuro: “nações andarão à sua luz; e os reis da terra trarão para ela a sua glória.”
Vemos em Apocalipse 22,9-10, o anjo afirma aquilo que irá mostrar: Vem, mostrar-te-ei a noiva, a esposa do Cordeiro.
E na sequência o anjo leva João em espírito a um grande e alto monte, e mostra-lhe a santa cidade de Jerusalém, que descia do céu da parte de Deus.
Vemos assim que nas escrituras não há contradições, mas sim os homens que deturpam a palavra de Deus para a sua própria condenação, através de doutrinas contrárias, ficando com a tradição de falsos ensinos, se enganando e sendo enganados.

Um comentário:

  1. gostei muito desta postagem que Jesus te ilumine sempre a escrever artigos edificantes como estes

    ResponderExcluir