sábado, 29 de setembro de 2012

O livro e a inscrição

Em Apocalipse 5.1-5 vemos o relato de João:“Vi na destra do que estava assentado sobre o trono um livro escrito por dentro e por fora, bem selado com sete selos”.  
Ora, vemos que esse livro está na destra daquele que está assentado no trono, e que nessa referencia ficou bem claro a existência desse livro, mas a sua existência precisa ser minuciosamente examinada, pois se trata de um livro escrito por dentro e por fora bem selado com sete selos, o qual nos remete a um mistério que precisa ser discernido e conhecido o mais rápido possível em virtude do tempo em que estamos: o tempo do fim.

"Risca-me do teu livro"

Segundo a descrição deste livro “escrito por dentro e por fora", não é difícil identifica-lo nas escrituras, pois como disse Moisés ao Senhor:"Agora, pois, perdoa o seu pecado; ou se não, risca-me do teu livro, que tens escrito. Então disse o Senhor a Moisés: Aquele que tiver pecado contra mim, a este riscarei do meu livro”. (Êxodo 32.32-33)

Um detalhe importante naquilo que Moisés disse; “risca-me do livro que tens escrito”, e que Moisés não disse: “risca o meu nome”, então como entender isso?
Veja como é simples: se eu tenho uma história escrita e quero que alguém faça parte dessa história e a venha cumprir, e porventura esse alguém, por algum motivo (que no caso seria o pecado) não a quisesse cumprir, então eu o riscaria da minha historia, e chamaria outro para cumprir. E dessa forma eu cumpriria a minha historia.
Agora que já entramos no mérito da questão desse livro, que na verdade se refere a uma história escrita pelo próprio Deus, como Ele mesmo disse a Moises: “Aquele que tiver pecado contra mim, a este riscarei do meu livro”, vamos conhecer agora um pouco mais sobre este livro.


A escritura da verdade

Como já vimos que há um livro que contém uma historia, e vamos ratificar mais sobre a existência desse livro. Vejamos em Daniel 10.21:
“Contudo eu te declararei o que está gravado na escritura da verdade; e ninguém há que se esforce comigo contra aqueles, senão Miguel, vosso príncipe”.

O livro que o Senhor escreveu é identificado em Daniel como “a escritura da verdade”, e segundo a continuação de Daniel, aquele Homem passa a ele revelações acerca de coisas que estavam bem distantes das quais lhe é dito para cerrar e selar as profecias porque pertenciam somente ao tempo do fim, como vemos: “Tu, porém, Daniel, cerra as palavras e sela o livro, até o fim do tempo; muitos correrão de uma parte para outra, e a ciência se multiplicará”. (Daniel 12.4)                                             
Esta ordem é para que Daniel não revelasse nada, pois tudo se refere ao tempo do fim, e só poderia ser revelado de acordo com o cumprimento da vida e morte de Jesus, o detalhe e que vemos essas profecias sendo apresentadas a João no Apocalipse, e essas revelações passariam a se cumprir segundo os escritos desse mesmo livro (escritura da verdade) citado por Daniel, o qual foi ordenado a João que não o selasse:” Disse-me ainda: Não seles as palavras da profecia deste livro; porque próximo está o tempo.” (Apocalipse 22:10), porem a Daniel 12.1 é dito: “Naquele tempo se levantará Miguel, o grande príncipe, que se levanta a favor dos filhos do teu povo; e haverá um tempo de tribulação, qual nunca houve, desde que existiu nação até aquele tempo; mas naquele tempo livrar-se-á o teu povo, todo aquele que for achado escrito no livro”.
Novamente aqui vemos uma clara referencia a este livro, ratificando sobre esta ordem dada a Daniel para que não revelasse nada, pois tudo se refere ao tempo do fim, e só poderia ser revelado de acordo com o cumprimento da vida e morte de Jesus, pois não estava escrito somente sobre a morte, mas também sobre sua vida, que é um outro detalhe sobre esse livro, ou, um outro título apresentado ao livro nas escrituras: livro da vida do cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo (Ap 21.27;20.15), e esse assunto iremos abordar em outra oportunidade.

Inscrição

Há vários ensinos que não correspondem a verdade, e entre eles citamos a seguinte apostasia de afirmarem que esse livro é onde está “escrito” os nomes das pessoas que “aceitaram” Jesus. E isso não corresponde à verdade e nem a realidade.
Pelas escrituras o verdadeiro sentido da palavra “escrito” ou “inscrito”, não divergem, é sim seguem o mesmo pensamento. Vamos ver no dicionário o significado da palavra “inscrito”:














inscrito
[Do lat. inscriptu, part. pass. de inscribere.]
Adjetivo.
1.Traçado dentro.
2.Registrado, assentado.
3.Incluído (em lista).

Na verdade o verdadeiro sentido da palavra “inscrito”, pelas escrituras, refere-se ao fato do cumprimento da vontade de Deus, que está escrita, da qual Deus a escreveu em um livro, desde a fundação do mundo. E pelo conhecimento homem passa a cumprir e consequentemente fazer “parte” dessa história escrita por Deus, daí vem o ser “inscrito”.

Conclusões

                                                                                
Não é difícil de entender o que levou alguém à crença de que teria o seu nome “escrito” no livro da vida. O medo, entre outras formas do sentir; perante uma vida de irresponsabilidades diante da vontade de Deus, levaria as pessoas a pensar de tal a forma, o que lhes ocasionaria uma suposta “sensação de segurança”, e enganando-se a ter uma “boa” certeza de vida eterna, e crendo assim teriam um bom afago e um ameno no inferno de suas consciências.
A verdade é que para se alcançar a vida eterna é necessário fazer parte da historia do livro da vida do cordeiro através do cumprimento de obras que estejam de acordo com as escrituras, para assim alcançar “as obras justas dos santos” que é o linho fino resplandecente e puro, e essas obras justas vêm da justiça revelada no evangelho (Rm.1.17) e todo aquele que viver do evangelho por ele é santificado, isto é, a historia da qual precisamos fazer parte para estarmos escritos ou inscritos resultará nas obras de justiça as quais vestirão o cordeiro para as suas bodas, em suma tudo se resume no cumprimento das  escrituras do livro da vida do cordeiro.

2 comentários:

  1. Estou a visitar alguns blogs, e tive o privilégio de encontrar o seu, vi na pagina inicial o que escreveu, e como gostei folheei mais algumas páginas e fiquei maravilhado pelo que vi e li.
    Dou-lhe os parabéns, mas queria deixar um apelo continue assim dando sempre o melhor, boas mensagens, bons temas. Gosto de escrever, mas também gosto de ler bons temas, por isso é que parei aqui.
    Meu nome é: António Batalha.
    Sou um servo de Deus,e deixo aqui a minha bênção,que haja paz,amor na sua vida, muita saúde e felicidade.
    PS. Se desejar seguir o meu humilde blog, Peregrino E Servo, fique á vontade, eu vou retribuir, se encontrar seu blog.

    ResponderExcluir
  2. MUITO BOM ESSE TEXTO TIREI ALGUMAS LIÇÕES PARA ENRIQUECER MINHAS PREGAÇÕES

    http://denilsonprofetadedeus.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir