quinta-feira, 9 de maio de 2013

A besta que subiu do mar

Examinando sobre esse assunto, vemos que se faz uma confusão enorme quanto ao mesmo, pois muitos dizem que o “dragão” a “besta” são literais como animais mitológicos e até ensinam esses absurdos como se as escrituras fossem de suas particulares interpretações.
Sobre esse assunto torna-se extremamente importante conhecermos o livro do Apocalipse. E entre tantos assuntos que são deturpados apresentamos a verdade sobre o seguinte assunto: a besta que sobe do mar.

Um só povo

Para falarmos sobre esse assunto, se torna necessário voltarmos ao passado e ver um período da história do mundo em que haviam cidades nas quais povoados vizinhos faziam trocas de mercadorias, os homens estavam espalhados sobre a terra, nada era centralizado, todos eram um só povo, todos os homens falavam uma só língua.

 Ninrode

E em meio a esse período da história surge um personagem que influenciou de tal forma o mundo daquela época: Ninrode.
Ninrode veio da linhagem de Noé, neto de Cão- que foi amaldiçoado por Noé- e filho de Cuche. A bíblia o relata como sendo “o primeiro a ser poderoso na terra”, Quando se diz “grande caçador diante do Senhor”, isto quer dizer que, as suas primeiras conquistas começaram a ser evidenciadas diante do Senhor. Ele era um “caçador de conquistas” que reuniu todos os povos diante de si, esse título revelava o seu caráter obstinado, ambicioso, como rei ele comandava com autoridade e com um grande poder de persuasão, que influenciava o povo que habitavam sobre a terra,. E ele se deixou corromper diante do Senhor, as glórias o enlouqueceram.
 Ninrode tinha em suas mãos poder e autoridade, ele queria mais, o seu poder não abrangia toda a terra.
mas não de um todo, pois os filhos de Noé e a sua descendência, que também eram poderosos, não se deixavam influenciar pelas idéias de Ninrode

A idéia

Derrepente surgiu na cabeça desse homem, um sonho, a idéia de ser o dominador de todo esse povo, um líder que tivesse em suas mãos o mundo daquele tempo, Ninrode, o qual foi o primeiro a ser poderoso na terra, tinha um exército, e toda a tecnologia disponível daquele tempo, ele edificou cidades poderosas, mais entre Nínive e Calá, se encontrava uma grande cidade chamada Résem, que em Apocalipse fala: “E a mulher que viste é a grande cidade que reina sobre os reis da terra.”

A torre

E assim por esse sonho, em Resém, se constrói uma torre com a finalidade que naquele lugar em que fosse construída a torre se levantaria um centro que iria abranger todo comércio daquele tempo, com a finalidade de que o povo jamais fosse espalhado sobre a terra, centralizando assim o poder para ser estabelecido um governo único mundial. Ele sabia que controlando o comércio, comandaria o mundo inteiro, podendo assim centralizar o poder. E que através desse projeto se evidenciaria o seu sonho: um governo mundial. E o povo que habitava sobre a terra aprovou essa idéia, tanto que, em comum acordo trabalharam na construção dessa torre, que segundo eles “tocaria nos céus”. Havia um sonho, havia um projeto, havia aprovação.  “E toda a terra se maravilhou, seguindo a besta”. Os homens, em comum acordo empenharam-se na construção dessa torre, na realização desse projeto. Ninrode se viu na possibilidade de ver o seu sonho concretizado. E essa torre lhe serviria de identificação do seu poder, os homens queriam edificar uma cidade que lhes serviria para centralizar um governo mundial.
E assim, em Résem, entre Nínive e Calá (Genesis 11:12), se levantou a primeira cabeça da besta que sobe do mar.

O trono de Satanás

 Nas escrituras satanás sempre aparece prometendo grandezas e poder. Ele se apresentou a Eva oferecendo poder: “sereis como deus”, e ofereceu a Jesus “as grandezas as glórias deste mundo”, porque até então pertencia a ele.


 A areia do mar

           Em Apocalipse 12:18 se vê a seguinte expressão: “E o dragão parou sobre a areia do mar”. Essa expressão descrita quer dizer que satanás observou o comportamento de um determinado homem, e toda situação apresentada diante do povo da sua época. Ele viu que e o próprio povo daquela época almejava e se aplicava em fazer com que o plano de Ninrode fosse evidenciado, e isto e evidente quando lemos: “Eia, edifiquemos para nós uma cidade e uma torre cujo cume toque no céu, e façamo-nos um nome, para que não sejamos espalhados sobre a face de toda a terra”.
E através dessa ideia os homens chamaram a atenção de satanás que contemplou essa ideia. Satanás até aquele tempo tinha como tomar posse de tudo pela ganância dos homens, na verdade foi ele quem deu o seu poder a Ninrode e o colocou como rei diante do povo daquela época, e visto que os homens serem mais capazes do que ele, produziam, eram sábios e inteligentes, e isso justamente devido aos resquícios da imagem de Deus no homem. E dando assim a sua autoridade e o seu poder: “Eles vão ser grandes, eles irão me servir, e irei dominar através dessa ideia, e serei adorado, e esta terra novamente será minha.” E o trono de satanás, ganância e poder, foi entregue aos homens.
Quando satanás para sobre a areia do mar ele vê uma besta, ou uma forma poderosa de governo saindo do mar; em meio ao desígnio do povo daquela época, isto quer dizer que, satanás vê, através dessa idéia dos homens, uma forma de governar o mundo. E ele vem e dá à besta (governo) o seu trono e grande autoridade conforme vemos em Apoc. 13 1-2.
Dessa forma vemos claramente que satanás, mesmo sem saber, sempre só esteve complementando o propósito de Deus, embora se achando o tal, porém esquecendo que parte da sua sentença era rastejar sobre seu próprio ventre o que quer dizer que ele seria escravo do seu próprio ego, e o seu ventre então seria o seu próprio deus (Gn. 3.14).

Babel

   Mas eles não contavam com um fato, que foi relatado em Genesis: “Então desceu o Senhor para ver a cidade e a torre que os filhos dos homens edificavam “ali confundiu o Senhor a linguagem de toda a terra, e dali o Senhor os espalhou sobre a face de toda a terra. “E cessaram de edificar a cidade.”
Por isso se chamou o seu nome Babel, porquanto ali confundiu o Senhor a linguagem de toda a terra, e dali o Senhor os espalhou sobre a face de toda a terra.” E o Senhor destruiu o sonho de um governo único e centralizado, que naquele época pretendiam implantar sobre a terra. (Gn. 11.1-9).
A primeira cabeça da besta havia caído, mas o sonho permaneceu.

Do engano

Em apocalipse 13,1-2 Deus mostrou para João todo o seu projeto em relação a tudo aquilo que ele iria fazer, ou seja, aquilo que por ele próprio havia sido planejado. “Então vi subir do mar uma besta que tinha dez chifres e sete cabeças, e sobre os seus chifres dez diademas, e sobre as suas cabeças nomes de blasfêmia. E a besta que vi era semelhante ao leopardo, e os seus pés como os de urso, e a sua boca como a de leão; e o dragão deu-lhe o seu poder e o seu trono e grande autoridade.”
As sete cabeças relatadas por João referem-se aos sete reinos que se levantariam sob a mesma idéia, na qual babel foi a primeira a colocar em prática tal projeto: um governo único, mundial.

 Devido ao golpe dado pela igreja católica em Roma, que foi “ferida de morte”, Roma levantou a Besta que sobe da terra, e assim arregimentou essa besta (que subiu da terra) para dar continuidade a esse sonho, o domínio mundial.

 Do que consiste a adoração ao dragão?

Mas como acontece essa adoração ao dragão, visto que quem eles adoraram foi à besta? Quem em sã consciência iria adorar satanás?
Ora, as respostas a essas perguntas se encontram no próprio texto, pois lemos apocalipse 13,4 vemos: “e adoraram o dragão, porque deu à besta a sua autoridade; e adoraram a besta, dizendo: Quem é semelhante à besta? quem poderá batalhar contra ela?”. Isto diziam a Roma na época que ela estava no auge do seu poder. Vemos que a quem eles adoraram foi ao dragão, pois diziam: mas em baixo diz que eles adoraram a besta (que sobe do mar). “Quem é semelhante à besta? quem poderá batalhar contra ela?”, isto quer dizer que, se aprovaram o plano de um governo único, e não só aprovaram como também amaram de tal maneira esse plano de governo, estavam automaticamente adorando o dragão, ou seja, adorando a satanás, pois foi ele quem deu as sete cabeças o seu poder. E nisto se deu o seu engano, pois ele acha que ele seria o adorado e o idolatrado em todas as cabeças. Os homens haviam aceitado o plano de um governo único, a partir do momento em que o plano do governo foi amado de tal maneira o adorado é o dragão.

O oitavo rei

             Em Apocalipse lemos: “A besta que era e já não é, é também o oitavo rei, e é dos sete, e vai-se para a perdição.” Porque dessa afirmação?
O fato é que de “ser dos sete”, ou, “o oitavo rei” não quer dizer que foi ele quem levantou esta besta que subiu do mar (Apoc. 13.1); mas quê, é uma referencia ao tempo do cumprimento que também ele executará após sair do poço do abismo e então vier requerer o seu trono que deu à besta que subiu desse mar.
_ Aqui vemos o porquê de satanás ser o oitavo rei e ser dos sete; veja Apoc. 12.18 e Apoc. 13.1.
Apoc. 12.18.18 E o dragão parou sobre a areia do mar.
1Então vi subir do mar uma besta que tinha dez chifres e sete cabeças, e sobre os seus chifres dez diademas, e sobre as suas cabeças nomes de blasfêmia.
2 E a besta que vi era semelhante ao leopardo, e os seus pés como os de urso, e a sua boca como a de leão; e o dragão deu-lhe o seu poder e o seu trono e grande autoridade.

A besta que subiu da terra

Sabemos que as sete cabeças são sete reis, sete governos que tem por base a ideia de um governo único mundial.
Mas esse assunto só se torna completo depois que sabermos a quem se refere à profecia de João, em apocalipse 13, 11-17.
E vi subir da terra outra besta, e tinha dois chifres semelhantes aos de um cordeiro; e falava como dragão. Também exercia toda a autoridade da primeira besta - que sobe do mar- na sua presença.”
A besta que sobe da terra sustenta o sonho de um governo mundial. E diz: “e fazia que a terra e os que nela habitavam adorassem a primeira besta (que sobe do mar), cuja ferida mortal fora curada. E operava grandes sinais, de maneira que fazia até descer fogo do céu à terra, à vista dos homens; e, por meio dos sinais que lhe foi permitido fazer na presença da besta, enganava  os que habitavam sobre a terra e lhes dizia que fizessem uma imagem à besta que recebera a ferida da espada e vivia.”
Foi-lhe concedido também dar fôlego à imagem da besta, para que a imagem da besta falasse, e fizesse que fossem mortos todos os que não adorassem a imagem da besta. E fez que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e escravos, lhes fosse posto um sinal na mão direita, ou na fronte, para que ninguém pudesse comprar ou vender, senão aquele que tivesse o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome.”
(((A águia e desde babel, e é sustentada por todas as 7 cabeças da besta.)))
Na verdade o sonho por eles propagado é um mundo em que tudo irá ser controlado por eles, onde para você morar nele terá que se submeter a uma marca, que sem ela não poderá comprar nem vender.
Roma deixou de existir, o que existe agora é a igreja católica, que levantou a besta que subiu da terra. Hoje a besta que subiu da terra sustenta Roma. E o trabalho da besta que subiu da terra não é levantar um governo para Roma, é sim concluir um sonho mundial, é concluir um sonho de transformar o mundo em um só mundo, um mundo que pertença a eles “façamos um nome...”.

A mulher assentada sobre a besta.

A mulher representa o ideal, intento desses homens, que em Résem, foi determinada as bases desse plano, o intento foi construído ali “esta é a grande cidade que reina sobre os reis da terra”. E que através de sociedades secretas levam esse intento avante. E esse intento é conduzido por todas as 7 cabeças da besta, desde Résem a mulher está assentada sobre a besta, eles vem de uma mesma linhagem, e isto está relatado em Genesis: “façamos para nós um nome”.
A função da besta que sobe da terra e preparar um governo para o anticristo, que é a 7° cabeça. A pirâmide é só um símbolo do intento que se originou em Résem. A torre inacabada, a pirâmide inacabada. A pirâmide e um símbolo da babel. A torre esta inacabada representando que eles estão trabalhando para concluí-la. A mulher esta assentada sobre a besta refere-se ao intento deles de concluírem a torre inacabada.

A balança na mão

 E vemos outro detalhe: “E olhei, e eis um cavalo preto; e o que estava montado nele tinha uma balança na mão.”
A balança é um símbolo de justiça, e quando diz que ela “ele tinha”, isto quer dizer que ele tinha autoridade para ordenar leis, e cumpri-las. E quem hoje dita às leis do mundo inteiro, a qual todas as nações se dobram? Não é a cidade que reina sobre os reis da terra, ou seja, a besta que sobe da terra? “15 Foi-lhe concedido também dar fôlego à imagem da besta, para que a imagem da besta falasse, e fizesse que fossem mortos todos os que não adorassem a imagem da besta.”

A imagem da besta

Vemos que o trabalho da besta que sobe da terra é preparar um governo para a entrada da imagem da besta.
O que é a imagem da besta?
Ela é constituída pelo governo de um homem que tem em seu poder 10 reis, ou 10 organizações que o apoiarão no seu intento, pois todos eles tem o mesmo intento, de entregar ao anticristo o seu poder.

O poder

Uma vez que o poder estiver nas mãos do anticristo, ele fará o que lhe aprouver, e ele vai fazer com que todos fiquem subjugados a ele, e conforme as suas pretensões ele vai queimar todos aqueles que se interporem aos seus planos: sejam eles os EUA, Vaticano, Japão ou a China. Vale lembrar que quem leva, ou conduz a mulher (o ideal) é a besta cor de escarlata (sete cabeças e dez chifres).
Ele conhece muito bem os intentos, será um homem que “entende enigmas” e cavalo preto refere-se ao período de trevas relacionadas ao trono do anticristo.

Um comentário:

  1. deseja ter mais visitas em seu blog estou trabalhando com gerenciamento de trafego mais informações no blog http://trabalhodisponivel.blogspot.com

    veja também as visitas que tenho no meu blog
    http://andaremcristo.blogspot.com e neste outro que já estou fazendo campanhas http://artesuspensas.blogspot.com

    ResponderExcluir